Fernando Adoka

O poste… E que ninguém encoste…

O ano de 2020 sem dúvidas transformou a vida das pessoas, modificou completamente a maneira de agir, pensar e até mesmo a forma como interagimos uns com os outros.

E sem dúvidas, o ano passado registrou um emblemático caso de restauração em nosso condomínio. Pude acompanhar de perto o péssimo estado de conservação do poste (e que ninguém encoste) de entrada de energia do bloco 14. Devido ao peso dos cabos, o fato de ter sido construído no passado, de forma duvidosa e até mesmo a falta de reparos estruturais dos últimos anos, trouxe à tona um complexo problema. A estrutura estava envergando, e mesmo sem um curso de engenharia, era simpático dizer que aquele poste poderia ruir em mais ou menos tempo, causando transtornos e até mesmo ferindo pessoas ou animais.

A sugestão executada então, foi a de dividir o suporte dos cabos com a estrutura do prédio, a confecção de uma maquiagem (reboque e pintura) e continuar mantendo o velho e cansado poste.

É importante mencionar, que é impensável camuflar uma estrutura que possa trazer riscos no futuro. Mesmo que tratado, nos faz pensar na máxima, que insere uma pulguinha atrás da orelha e nos coloca sobre a questão: O que mais por aí pode ter sido camuflado? Quais estruturas poderão ruir e causar acidentes ou contratempos?

Com a segurança das pessoas não se pode brincar não é mesmo? Nem camuflar…

Nota: As imagens foram gentilmente cedidas por um(a) morador(a).